Parker Young concede uma entrevista para a edição online da revista Vulkan

Na passada terça-feira (18), a revista Vulkan divulgou no seu site uma entrevista com Parker Young onde falaram um pouco sobre sua carreira, Arrow, Imposters e muito mais! A jornalista, Iris Markevitch, introduziu a entrevista falando um pouco acerca de Parker:

Conhecido por seus papeis em Suburgatory e Enlisted, Parker Young já percorreu um longo caminho desde que jogou futebol para sua LA University. Vulkan sentou-se com o galã para ver como está sendo sua experiência e falar sobre seu projeto mais recente, Imposters.

Após isso, Iris Markevitch, procedeu com a entrevista, confira tudo traduzido abaixo.

  • Antes de você começar no entretenimento, você jogava futebol americano na universidade em LA, mas escolheu continuar atuando. O que te levou a correr este risco? Você encontrou apoio de seus amigos e da sua família?

A resposta é que eu tive uma série de conclusões e isso me enfraqueceu, eu sabia que na verdade, a carreira de jogador de futebol americano não ia dar certo. Mesmo que eu amasse as noites de Sexta, a camaradagem e a irmandade, eu estava pronto para um novo capítulo na vida. Eu amava jogar futebol americano mas eu não estava apaixonado, por futebol americano. Era hora de ver novas pessoas. E sim, meus amigos e familiares apoiaram muito!

  • Você sente vontade de jogar ou se vê voltando a fazer isso?

Sim, eu sinto falta de jogar. Eu sinto falta de ir para as batalhas. Eu sinto falta de vomitar antes do jogo começar, porque as borboletas eram demais para eu lidar. Eu sinto falta do sangue, suor, e das lágrimas – literalmente, eu sinto falta da minha equipe. Eu sinto falta de marcar nas aterrissagens e escutar meu pai gritando nas laterais. Mas não, eu nunca irei voltar. Talvez em um filme ou algo do tipo, mas eu estou em um novo caminho agora.

  • Você estrela em “Imposters”, que começou este ano e é uma série sobre uma protagonista feminina que é uma pilantra. Nos conte sobre como seu personagem virou uma vítima dos jeitos destruidores de Maddie?

Para começar, ela era linda. Ela era tudo que o meu personagem precisava – ela completava ele. Ela tinha criado este personagem de uma mulher educada de Upper East Side, bairro de Manhattan, e ela me fez sentir que tudo fosse possível. Como se eu pudesse deixar minha cidade pequena para trás e realizar meus sonhos mais loucos; conquistar o mundo. Ela fez da vida algo emocionante, me deu propósito. Sexo era incrível. E então ela desapareceu, e levou todo meu dinheiro…

  • Qual sua coisa favorita sobre séries?

Minha coisa favorita sobre as séries e o tom único que elas tem. “Imposters” é uma série de humor negro com uma hora de duração que faz um ótimo trabalho de criar estas incríveis situações dramáticas enquanto mantém o senso de humor. Eu acho muito refrescante e satisfatório, tanto para assistir quanto para fazer parte.

  • Qual é a parte mais difícil de pegar um papel não sabendo se você vai ter a chance de crescer com o personagem?

Pode ser difícil. Mas eu tento usar a incerteza de não saber onde meu personagem está com a cabeça como uma oportunidade de criar meu próprio destino, por assim dizer. Eu sinto que muitas vezes eu fico oprimido em relação aos projetos que trabalhei, mas apenas me fez trabalhar mais na esperança de solidificar meu lugar no elenco. No meu primeiro show, “Suburgatory”, meu papel era um tanto pequeno no começo, e foi rapidamente crescendo para realmente se tornar uma parte do show. Eu tenho certeza que minha mãe iria tão longe para dizer ”um fã favorito” – obrigada pela frase hipotética, mãe. E a luta de continuar mantendo o pé na porta nunca acaba. Uma vez que você ”fez isso”, você está simplesmente competindo em um nível maior, tentando colocar os seus pés na próxima grande porta. Até mesmo no meu show atual, “Imposters”, eu lembro depois do piloto ter sido escolhido para a série, nós nos sentamos com o elenco e executivos, e depois os criadores pediram para falar com Robert e Invar em privados, basicamente para parabenizar eles sobre o show. Um gesto totalmente inocente, mas para mim foi uma lembrança que meu lugar neste show não é de forma alguma garantido. Depois disso, Rob e Invar tem seus rostos estampados em ‘outdoors’, não eu. Nós nunca sabemos se vamos ter a chance de crescer com os personagens que atuamos, tudo que podemos controlar é o trabalho que fazemos e a atitude que nós temos enquanto estamos fazendo isso. Eu sou agradecido pelas oportunidade, eu faço o melhor trabalho que posso todos os dias, e esqueço o resto.

  • Você já estrelou em algumas séries de TV e filmes. Elas requerem um tipo diferente de atuação? Se sim, você prefere qual?

Atuar em uma comédia é diferente de atuar em um drama. Estar no palco é diferente de estar em frente a uma câmera. As câmeras do show são diferentes umas das outras. Todo projeto tem seu único gosto e cor, e isso é parte do que faz a mágica do filme tão emocionante. Eu não tenho preferência. Eu simplesmente quero trabalhar em projetos que me inspiram. Eu quero trabalhar ao lado de indivíduos que estão no topo de seus jogos, e compartilham meu desejo de contar as melhores histórias para entreter, educar e inspirar.

  • Qual foi o momento decisivo da sua carreira de ator?

Eu acho que os momentos decisivos da minha carreira são aqueles momentos em que ninguém nunca viu ou ouviu. São as rejeições e os erros. As centenas, se não milhares de audições que nunca deram certo. As incontáveis vezes que eu não fui bom o suficiente. A constante rotina diária. É nesses momentos, os momentos que você tem que se levantar e sacudir a poeira, que você realmente define quem você é e o que você quer realizar. É nesses momentos em que ocorre o maior crescimento, pois é neste momento em que você tem que reafirmar para si mesmo que é verdadeiramente sobre a jornada, não o destino.

  • Você se juntou ao elenco de “Arrow” em 2016 como o interesse amoroso de Thea Queen. Como foi entrar no show sabendo que você tinha que ter uma química com um personagem regular do show? Você teve dificuldades em cultivar esta química?

Não, foi fácil. Eu a encontrei na mesa de leitura e nós trocamos números e então nos encontramos para tomar café no dia seguinte. Willa foi um completo amor. O desafio mais difícil foi fazer com que Steven Amell goste de você!! 🙂

  • Você já foi comparado com outras celebridades (look ou qualquer outra coisa)?

Não!

  • Você adora viajar! Qual o seu destino favorito (se conseguisse escolher um)?

Sim, eu amo viajar. Eu já tive experiências incríveis em Bali, Vietname, Tailândia, Belize, Montenegro, e Croácia, mas meu destine favorito é sempre onde minha família está.

  • Quem foi o seu mentor ao longo de sua carreira?

Eu já tive incontáveis professores e referências ao longo da minha carreira, de professores de atuação à atores que eu admiro, mas eu tenho que dizer que mesmo que ele não esteja na indústria, meu mentor principal sempre foi meu pai. Não importa o que eu estou passando ou em que luta estou, meu pai sempre foi meu Obi Wan.

  • Na sua opinião, qual foi a coisa mais difícil sobre atuação?

Algumas pessoas têm sorte, e encontram o sucesso bem rápido, mas muitos não. Para a maioria, é difícil. Você precisa ser paciente. Você precisa ter uma pele grossa e não deixar o processo te quebrar. Você precisa encontrar um jeito de gostar da jornada, e ficar feliz pelas pessoas ao seu redor que estão quebrando as regras que você gostaria de quebrar. Respeito é difícil de chegar nesta indústria. Sempre tem um grande peixe, e até mesmo os maiores peixes não tem comparação com os tubarões. Mas os desafios e derrotas fazem das vitórias e do sucesso ainda mais gratificantes.

  • Tem algumas mulheres que você tem um ‘crush’ que você pode nos falar?

Honestamente, há várias na lista.

  • O que os fãs esperam de Parker Young em 2017?

Espero que consigamos a lanterna verde para a segunda temporada em breve, e espero que eu consiga trabalhar em alguns filmes de comédia. Eu também estou cansado de implorar por trabalho, então eles podem esperar que vá começar os meus próprios conteúdos em breve… contudo, isto talvez possa não acontecer em 2017. A boa notícia é que não precisa ter pressa, certo? É tudo sobre aproveitar a jornada.

Fonte: Vulkan Magazine: “Parker Young by Sharon Mor Yosef” | Tradução e Adaptação: Imposters Brasil


FOTOS – Ensaio Fotográfico

O ELENCO | THE CAST > PARKER YOUNG > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2017VULKAN – (SHARON MOR YOSEF)

      

FOTOS – Scans

O ELENCO | THE CAST > PARKER YOUNG > REVISTAS | MAGAZINES > 2017VULKAN – (EDIÇÃO ONLINE) • ABRIL

      


Vestido pela a editora de moda da revista, Caitlin Eucker, e arranjado pelo o cabeleireiro, Yaniv Katzav, com roupas da marca Iijin, Michael Stars, Cohen & Sons, Zara, Frye, H&M, a ator conta com mais de $1000 (cerca de R$3000) no seu corpo, fechando assim com luxo a edição online da Vulkan Magazine, que já se encontra disponível em modo digital, mundialmente e você pode conferir clicando aqui.