Inbar Lavi estampa a capa e o recheio da revista Pnaiplus (פנאי פלוס)

Nesta quarta-feira (10), a revista hebraica Pnaiplus divulgou que Inbar Lavi estaria estampando a capa e ainda o recheio da mesma e nesse mesmo dia, ele disponibilizaram uma entrevista onde falaram da recente passagem de Inbar pela a sua terra natal, Israel, Imposters e Prison Break, os dois sucessos atuais da carreira da mesma.
Tzbih Blom, jornalista da revista introduziu a matéria com uma citação de Inbar:

“Eu me senti invisível em Israel” (הרגשתי בלתי נראית בישראל)

Lavi antes de começar a responder ás questões da entrevista, revelou que a sua nomeação para um Emmy, e o fato de contracenar ao lado de figuras importantes como Uma Thurman, apesar de ser tudo um sucesso, por vezes é um pouco inseguro para qualquer mulher na casa dos 30′.


Após isso, Tzbih, continuo com um resumo acerca do que Inbar está trabalhando atualmente e depois procedeu com a entrevista e nós fizemos todos os possíveis para traduzir, por isso pedimos desde já perdão se tiver alguém erro de tradução ou adaptação, se o encontrar tente entrar em contanto conosco.

Inbar Lavi (30 anos), morando nos Estados Unidos.

A atriz, atualmente estrelando no papel-título da série “Imposters” (transmitido aqui no canal HOT e Cellcom TV), bem sucedida da Bravo, a comédia-negra/drama na qual ela estrela no papel principal, revelou – que os produtores ofereceram-lhe uma candidatura para o Emmys.
O anúncio das nomeações foi em julho, e Deus sabe que há uma forte concorrência e, no entanto, esta é uma dignidade considerável, provando sua crença no canal Starr: “Eu pulei para fora da cadeira, quando me contaram”, ela continua: “E se eu ganhar ainda não é surpreendente, em geral, é uma grande honra quando você ouve esta constelação.”
Mas mesmo que você não tenha visto “Imposters”, há uma boa chance de que você já ter visto Inbar na nova temporada de “Prison Break” (que também está sendo exibida nos canais hebraicos).
As suas conquistas também são algo marcante: desde do início da sua carreira a indústria de televisão americana tem ajudado muito Lavi, em 2008, Inbar gravou vários papéis, papéis pequenos como Fiona em “Privileged” e Shalev em “Synonymous para papeis mais significativas em séries como ‘Sons of Anarchy’, o drama de ação ‘Gang Related’, onde deu vida a uma figura central, e o drama de ação futurista “The Last Ship”, onde ela interpretou a personagem de saturação, Ravit Bivas,
“Os produtores do mesmo [The Last Ship], me ofereceram um papel de liderança, mas pedi-lhes para me escrever uma cena de morte, pois não queria estar mais lá” – ela revela.


  • Espera … o quê? (Reação de Tzbih á decisão de Inbar sobre sua morte em ‘The Last Ship)

Sim, eu lhes disse: “Ouça bem, eu realmente aprecio isso, e eu estou terrivelmente lisonjeada, mas eu quero terminar o meu mandato aqui e eu quero ser lançada daqui, eu senti sistematicamente que eu faço projetos que eu não estou interessada, porque uso estes papeis dos personagens para buscar constantemente trabalho e só de pensar: ‘Oh meu deus, eu não tenho trabalho, o que será vai ser de mim?’, então se você oferecer-lhes algo eles tomarão essa atitude, porque você nunca sabe o que o amanhã trará, hoje eu estou olhando para a qualidade, não a quantidade, não é algo que vai me fazer uma ‘superstar’, mas isso não me interessa mais.

  • Então o que você quer na sua carreira?

As coisas que eu gostaria de ver, algo que eu, Inbar Lavi, deva estar orgulhosa, para ter um legado para mostrar aos meus filhos e netos. Não é fácil encontrar essas coisas. Isso significa que eu me posso sentar por muito tempo, para esperar. Há sempre sugestões, mas se eu estou escolhendo, haverá longos períodos que passo sem trabalho, e assim, depois que eu saí de “The Last Witch Hunter”, passei oito meses a dizer ‘não’ a qualquer coisa que me enviavam.

  • E como é que você se sentiu realizado em Los Angeles, oito meses sem trabalho?

Eu trabalho por um longo tempo, eu não sou imprudente e desperdiçadora, sou muito humilde com minha vida e com o que preciso. A verdade é que já tinha perdido a esperança e eu decidi isto, arrumar minhas malas e voltar para casa. Eu disse que provavelmente [Los Angeles] não era o lugar para mim, não é realmente de mim, não é o que eu quero fazer, e eu decidi voltar para Israel e fazer projetos de qualidade estando perto da família.

  • Muitas garrotas [islamistas] sonham em chegar aos Estados Unidos e trabalhar, e você fez isso. Como? Quanto tempo você tem

Eu tenho muito trabalho duro, muita fé e apoio da família, muita sorte, mas principalmente, trabalho duro.

  • Você não acha que [como a maioria] devia ter tentando primeiro no país [natal: Israel]?

Não é que eu não queria trabalhar aqui no país, mas em geral eu não venho de um fundo de atrizes, eu era uma dançarina e eu vim para um mundo da dança, mesmo sem eu ter dito isso em voz alta eu quero mesmo é ser atriz e na altura pareceu-me muito patético, algo que todo mundo quer, e quem eu sou no meio desse mundo, incluindo o meu começo, e muito me assustou para dizer isso em voz alta, porque eu estava com medo da reação, há sempre uma série de críticas no país e da sociedade e então eu me senti invisível em Israel.

  • Você ainda se sente assim? Mesmo agora?

Sim, mesmo agora, quando eu cheguei novamente a Israel, eu me senti menos poderosa em Mbamrikh. Eu não sei se é porque a minha energia parece muito exótica para os americanos, por isso estou muito proeminente, mas quando estou em Israel, eu sou um de todos eles.

  • Não é qualquer um que parece ser bom, em qualquer lugar, como se sente sobre isso?

Não é apenas o olhar nos meus olhos, é essa energia também é algo que chama a atenção, e eu posso dizer inequivocamente que há uma diferença entre as reações que recebo aqui em Israel do as que recebo em Los Angeles, pessoalmente acho que LA tem mais interesse e curiosidade, e eu sinto que eu recebo mais atenção, e é totalmente honesto e genuíno. não é claro para eles onde estou. Em Israel, não é algo muito atraente para eles e eu não sou muito clara para eles, tudo entre eles e eu não está bem claro, tentar compreendê-la. E essa é também uma das razões pela a qual me senti atraída pela a minha personagem em “Imposters”, a Maddie, pois nunca está claro o que está acontecendo com ela, e o mesmo se aplica comigo aqui no país, eu sinto que tenho esta máscara.

  • Lavi não só tem as grandes ligas em termos de papéis, ela também contracena ao lado de grandes nomes conhecidos, como Uma Thurman, como foi trabalhar com ela ao seu lado?

Foi incrível, uma grande honra! Ela é uma atriz incrível e eu estou muito contente que nós faremos mais uma temporada juntas, eu a admiro desde da infância. Foi muito surreal para mim, trabalhar, mas também com os outros caras, nós nos tornamos muito bons amigos e tivemos muita diversão juntos.

  • E com Wentworth Miller, como foi trabalhar com uma celebridade como ele?

Há algo muito defensivamente e ficar em publicidade em nível de estrela tão alta, porque as pessoas não os conhecem como um ator primeiro, mas como os personagens que maioritariamente esses personagens são pessoas completamente diferentes da realidade do ator, você não conhecê-los, o que você passou, e por quê você toca, o que você precisa – há sempre a sensação de que alguém precisa de algo de você e com ele é algo semelhante chega até a ser apenas cansativo, ele começa agradável, mas quando se trata de uma pessoa de 30, quando você sentar e quer comer um hambúrguer ele vem e atira em você.

  • Você é reconhecida nas ruas de Israel?

Sim, identificarem-me, às vezes até vêm para cima de mim (risos), eu pessoalmente, acho que as mulheres com mais de 50 anos são as que estão mais ligadas a meus personagens e séries que tratam as mulheres jovens como o centro.

  • E quanto ao amor? É estressante? 

É como qualquer mulher com idade de 30 ou mais, que ainda não encontrou uma relação na qual quer ter uma família, e à procura de amor, eu estou começando a me perguntar se isso nunca vai acontecer comigo, o que está errado comigo, e quando isso acontece comigo. A insegurança que existe em cada um de nós, e ele sai se carreira ou seja na vida pessoal, e em momentos do mais hediondo de um quebrado absoluta, a família é o que lhe dá afundar. tenho muita sorte que eu tenho uma rede de segurança neste enorme. Eu tenho muita confiança em muitas áreas e aspectos da vida e quem eu sou, mas ocasionalmente ela permeia. difícil de conhecer pessoas quando você está constantemente inundados com o trabalho.

Fonte: Pnaiplus Magazine: “ענבר לביא: “הרגשתי בלתי נראית בישראל”” | Tradução e Adaptação: Imposters Brasil


FOTOS – Ensaio Fotográfico

O ELENCO | THE CAST > INBAR LAVI > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2017PNAIPLUS/פנאי פלוס – (RONEN FADIDA)

      

FOTOS – Bastidores

O ELENCO | THE CAST > INVAR LAVI > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2017 > BASTIDORES | BACKSTAGE > PNAIPLUS/פנאי פלוס – (RONEN FADIDA)

      

FOTOS – Scans

O ELENCO | THE CAST > INBAR LAVI > REVISTAS | MAGAZINES > 2017PNAIPLUS – (פנאי פלוס) • MAIO

      


A atriz fechou a capa e recheio, com classe, da edição de Maio da Pnaiplus, vestida e maquilhada pela a editora de moda da revista, גילי אלגבי, que já se encontra disponível em modo digital, mundialmente e você pode conferir clicando aqui.